terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

"O caso Yeda - 2". O que faz Serra e Aécio colocarem a barba de molho.


BLOG DO U: Por Jorge Lima: Cronologia dos escândalos que assusta Serra e Aécio.

Maio/2007: O Secretário de Segurança Enio Bacci acusa a existência de corrupção na Polícia Civil, que se daria através de recebimento de dinheiro dos exploradores de máquinas caça-níquel. Após um bate-boca público com um delegado, em um programa de rádio ao vivo, Bacci é demitido. Em entrevista declara que a bandidagem venceu e denuncia a existência de problemas no Detran e na própria SSP. O blog http://www.videversus.com.br publica uma longa matéria apontando diversos ilícitos e a existência do “homem da mala preta” que distribuía dinheiro aos integrantes do governo. Assume a SSP o Delegado de Polícia Federal José Francisco Mallmann.
Meados de 2007: O vice-governador Paulo Feijó vai à Comissão de Serviços Públicos da Assembléia denunciar má gestão e outros problemas no Banrisul. Segundo o blog Direto da Fonte, do portal http://www.clicrbs.com.br, um dia antes da ida de Paulo Feijó à Comissão, acontece uma reunião entre ele, o Secretário da Casa Civil Luiz Fernando Záchia, o Procurador Geral de Justiça Mauro Renner e o presidente do Tribunal de Justiça Marco Antônio Barbosa, na qual os três tentam convencer Feijó a desistir das denúncias.

Outubro 2007: Operação Rodin prende dois presidentes do Detran e diversas outras figuras ligadas aos governos Rigotto e Yeda. Entre os presos está Lair Ferst, apontado como um dos principais nomes da coordenação de campanha de Yeda. O Secretário Mallmann começa a ser fritado públicamente através de notas publicadas na coluna e no blog de Rosane de Oliveira, comentarista política do jornal Zero Hora. A razão da fritura é o descontentamento da cúpula do governo por Mallmann não ter alertado sobre as investigações da PF. Mallmann é demitido em 2008.

2008: CPI do Detran. O governo tem maioria e barra a maior parte das iniciativas. Os acusados negam todas as acusações, mesmo depois de a comissão ter acesso ao material produzido pela investigação da PF. Um depoente afirma que a casa que a governadora comprou logo após ser eleita, e antes de tomar posse, foi paga com dinheiro de sobras de campanha. O Secretário Ariosto Culau é flagrado tomando chopp com Lair Ferst em um shopping de Porto Alegre

Maio 2008: O vice-governador Paulo Feijó grava conversa com César Busatto, chefe da Casa Civil, na qual este diz que é normal que os partidos se utilizem de recursos de estatais e autarquias para se financiarem. Busatto diz que o Banrisul é do PMDB e o Detran é do PP e que, no passado, o DAER era utilizado para financiar os partidos. Busatto se demite e Feijó é ameaçado de expulsão do DEM e atacado pela RBS, que insinua que ele é desequilibrado.

Outros fatos de 2008: Depois do caso do Detran é criada uma Secretaria de Transparência, que fica cozinhando em banho-maria pois o decreto de criação nunca sai do papel. A secretária nomeada se demite, dizendo que o governo é leniente com a corrupção e que sai antes que estoure outro escândalo. O MPE “investiga” a compra da casa da governadora e diz que o negócio foi lícito e que se “restaure a honra de Yeda”. O TCE diz que a compra da casa ocorreu antes da posse, portanto não tem competência para investigar. Operação Solidária investiga desvio de recursos na prefeitura de Canoas. A lista de investigados é quase uma cópia da lista da Operação Rodin. Descobre-se que o comandante da Brigada Militar, polícia militar gaúcha, solicitou ajuda a Chico Fraga, secretário de governo de Canoas, indiciado nas duas operações e apontado como um dos mentores das fraudes, para assumir o comando da corporação. A conversa foi registrada em interceptação feita pela Polícia Federal.

Fevereiro 2009: Dez entidades sindicais deflagram uma campanha publicitária prometendo revelar a face da corrupção e do autoritarismo no RS. No dia 12/02, é revelado que a face é a da governadora. O governo aciona o MP para suspender a campanha. O MP diz que a campanha, feita através de outdoors espalhados pelo estado, pode configurar crime e os responsáveis processados. No dia 17/02 é encontrado o corpo de Marcelo Cavalcante “embaixador” do RS em Brasília. No dia 19/02 integrantes do PSOL convocam entrevista coletiva e apresentam as denúncias já referidas por outros comentaristas. Informam que a entrevista seria convocada para o dia 05/03, após Marcelo Cavalcante prestar depoimento ao MPF, pois teria feito acordo de delação premiada. A antecipação da entrevista se deu em função da morte de Marcelo e da intenção de evitar o desaparecimento de outras testemunhas. Os integrantes do PSOL garantiram ter tido acesso às provas mencionadas e que tal acesso não se dera através do MPF e sim de outras fontes que não seriam reveladas. Apenas o ex-secretário Aod Cunha, citado nas denúncias, tomou medida judicial, interpelando os denunciantes para que apresentem as provas das denúncias. Yeda, em entrevista ao jornal Zero Hora, disse que sua mãe a ensinou a não responder provocações de “bêbados de porta de bar”.

Todas as informações referidas foram obtidas através do jornal Zero Hora e dos blogs RSUrgente, Diário Gauche, Videversus, Blog da Rosane de Oliveira, Direto da Fonte, Agente 65, Blogoleone e Dialógico.

Lula amplia vitrine expondo-se em jornais regionais, e o PIG grita de raiva.


BLOG DO U:O púlpito da presidência dá ao inquilino do Planalto uma visibilidade inaudita. Qualquer espirro do presidente vira notícia.

Sob Lula, a vitrine presidencial, que já era ampla, tornou-se ainda mais larga e vistosa.

O presidente adotou a prática de “falar” para os jornais regionais. Foram 19 “entrevistas” em 2008; oito nesse início de 2009, informa o Painel.


Diante de um espirro do presidente, a grande “imprensa golpista” dirá que é gripe. Jornais pequenos tendem a gritar ‘saúuuuuude’.

E assim Lula evita a asia dos grande jornalões da terra nativa até quando isso vai perdurar e que vamos ver.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

"A volta do SERRAcard"

BLOG DO U:Há um ano denunciamos o escândalo do SERRAcard, e hoje o governo demo-tucano paulista continua escondendo do contribuinte como é gasto o dinheiro nos cartões corporativos do Estado de São Paulo (popularmente chamado de SERRAcard).

Coisas estranhas continuam acontecendo. No relatório de 2009 disponibilizado na internet pelo governo paulista (arquivo em PDF 1Mb), a maioria dos lançamentos oculta com quê foi gasto o dinheiro, lançando como "DESPESAS MIUDAS E DE PRONTO PAGAMENTO".


Além disso, chama atenção diversos lançamentos arredondados, como R$ 100,00, para diversos fornecedores com ramos de atividades diferentes no mesmo dia, uma coincidência difícil demais de acontecer em uma contabilidade real (figura abaixo). O valor de R$ 100,00 é baixo, mas a soma de muitos desses lançamentos ...


Para piorar, o relatório esconde o CNPJ dos fornecedores. Leia mais na nota Exclusivo: SERRACARD esconde CNPJ de fornecedores até hoje.






Os DEMOS-TUCANOS não têm como fugir do plebiscito, mas que serão as eleições de 2010.


BLOG DO U: Os DEMOS-TUCANOS não têm como fugir do plebiscito que serão as eleições de 2010. Serão confrontados os oitos de FHC com os oito de Lula com crise e sem crise. Serra e DILMA terão que estar bem preparados para defender os acertos e os erros dos seus partidos no governo.

Não há como os DEMOS-TUCANOS esconder que são neoliberais e que ajudaram a enterrar a esperança do povo brasileiro durante os anos noventa.


Será uma eleição bem interessante e cômica vendo o candidato DEMO-TUCANO negar as políticas neoliberais de FHC durante a campanha como o Geraldo fez na campanha anterior. Isso ainda vendo o neoliberalismo em água pelo mundo a fora.


Vai ser bem interessante ver a Dilma destroçar os DEMOS-TUCANOS Serra ou Aécio durante os debates. Munições não faltarão à DILMA para questionar o que eles pensam fazer melhor do que o governo do PT durante os oitos anos.


O povo vai querer voltar às mãos dos DEMOS-TUCANOS? Este pessoal que á aliado incondicional dos EUA, que olham mais para fora, do que para o povo brasileiro?


Escrevam aí que vou dizer: será a maior vitória da história republicana brasileira de um partido de esquerda e seus aliados.


O desespero tomou conta da mídia partidária do país e infelizmente teremos uma guerra fratricida nas eleições de 2010. A mídia DEMO-TUCANA pagará cara a derrota e os primeiros indícios de 2009 não nos deixam perceber outra coisa se não esta visão.


No entanto, para o bem do país, as armas do governo Lula são bem maiores do que a mídia DEMO-TUCANA, mesmo porque os blogueiros já começaram a batalha pela informação e comunicação.


Uma boa parte da militância já deixou as ruas pela internet que é um espaço que está se agigantando e comendo pelas beiradas a mídia tradicional. Esta que ainda não acordou para esta realidade, achando que são ainda a toda poderosa formadora de opinião.

“Alguns acreditam no PSDB. Outros preferem duendes”

contagem regressiva


BLOG DO U: Não acho que o PSDB acabou, mas é um PSDB na derradeira de ser exterminado da 1ª divisão, se por um lado o PT corre serio risco de encolher nestas eleições de 2010 e a mostra disso é a força que faz Lula para sair com seu partido unido no estado de São Paulo onde se concentra 40% do eleitorado brasileiro, por outro lado o PSDB também corre serio risco de ser rebaixado à segunda divisão da política brasileira, tais como os partido de alugueis que hoje afunda nossa democracia.
Sendo assim podemos dizer que o fiel (mas nem tanto assim) o PMDB é uma noiva bem cobiçada, mas com aquela duvida do noivo, casar com essa noiva (PMDB) requer arrastar a sogra os cunhados e tios etc... para lua de mel, coisa que muitos partidos (noivo) torcem o nariz.
Enfim é esperar para ver quem se saíra melhor desta festa PT ou PSDB, apostem suas fichas e deixem o jogo e seus jogadores correrem.

Mas o artigo na revistá Època reflete um pouco disso que relatei acima.

Colunista da revista Época Paulo Moreira Leite, explica bem a armadilha em que o PSDB e Serra se meteram.

1. Montaram alianças com a fina flor do neoliberalismo, indo no canto de sereia de FHC.

2. Aliados do neoconservadorismo mais primário, ficaram amarrados para criticar o calcanhar de Aquiles da política econômica de Lula - o Banco Central.

3. Deixaram de lado a visão não ideológica de privatização e estatização. Tornaram-se neoliberais de carteirinha, embora não o fossem anos atrás.

4. Prisioneiros da direita inculta, não conseguem tratar a Bolsa Família e outras políticas sociais da maneira correta: reconhecendo os méritos e propondo aprimoramentos.

5. O que resta? Dossiês, escändalos, factóides. Hoje em dia, embora tivesse os melhores quadros intelectuais da política, sabe-se o que o PSDB faz - CPI dos Grampos, defesa de Dantas, factóides com a Veja -, mas não se sabe o que ele pensa.

6. Não faltaram avisos a Serra antes que cometesse o erro definitivo de sua carreira: grudar-se a FHC e aceitar seus aliados e seu estilo.

Artigo do Paulo Moreira Leite - Época
O artigo retrata bem a esquizofrenia atual dos tucanos.
“Alguns acreditam no PSDB. Outros preferem duendes”
Fonte blog do nassif

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Lula diz não a Chavez: Brasil não quer gasoduto porque será auto-suficiente


BLOG DO U: Olha como a mídia nossa trata assunto de importância para o país, está estampado nos noticíarios internacionais que o Lula disse não a Chavez na questão do gasoduto, e nem uma virgula se quer na nossa mídia nativa.


Brasil anunció esta semana su desmarque del proyecto del presidente venezolano, Hugo Chávez, para construir el gasoducto del sur, un gigantesco tubo que transportaría gas natural desde el Caribe venezolano hasta la región más austral de Argentina, atravesando Brasil de norte a sur. Brasilia dio el paso el lunes, tan sólo horas después de que Chávez ganara el referéndum que le abre la puerta a su reelección indefinida.
La decisión supone un nuevo y duro revés a las pretensiones del líder venezolano de consolidarse como el gran líder integrador del subcontinente suramericano. También da al traste con la intención del Gobierno de Caracas de garantizar la venta de sus hidrocarburos en todo el Cono Sur.
De esta manera, Brasil continúa su senda imparable hacia la autosuficiencia energética. El presidente Luiz Inácio Lula da Silva ha convertido este asunto en uno de los caballos de batalla en materia económica de su segundo mandato, porque sabe que de ello también dependerá la consolidación de su país como nueva potencia en el tablero internacional. En los últimos años, el gigante suramericano no ha parado de descubrir petróleo y gas natural en sus aguas, ha potenciado a tope la producción de los biocombustibles y, poco a poco, ha ido cortando su dependencia de gas y petróleo provenientes de países vecinos como Bolivia o Venezuela. Es en este contexto donde el Gobierno de Brasilia ha comunicado su salida del proyecto de gasoducto que conectaría el norte de Venezuela con la Tierra del Fueg

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Acabou a brincadeira com a crise. Será?


BLOG DO U:

A brincadeira da aliança neocon, de explorar a crise para enfraquecer o governo, esbarrou em uma dura realidade de mercado: as receitas publicitárias caíram de 30 a 40% em janeiro. E prometem repetir o desempenho em fevereiro.
Deram um tiro no próprio pé, como cansei de alertar em dezembro. Primeiro, como a crise é global não conseguiram colar sua responsabilidade no Lula. Segundo, ao espalhar o medo da crise pelo país, aumentaram os receios dos empresários, que pisaram mais forte no freio. E os primeiros cortes são na publicidade.
Não fosse a enxurrada de verba publicitária injetada pelo governo de São Paulo no mercado, a situação teria sido pior.
Agora, é um tal de buscar pontos positivos na crise que dá até medo. Ontem, o Jornal Nacional ressuscitava a velha franquia e o empreendedorismo brasileiro. Hoje, é a vez da Folha. Aliás, há vários dias que o JN mostra regiões em que a crise não chegou. Ainda não entrou no tema infraestrutura.
Os que brincavam de política com a crise tiveram que se curvar ao poder maior do mercado.

Olha como a policia de Zé pedágio trata as damas do sindicato, um absurdo.

BLOG DO U: Foi lamentável o fato que ocorreu na ultima semana na cidade de Sorocaba, que por sinal é governada pelos tucanos a mais de 12 anos.

Um movimento em um grupo de empresas na área industrial da cidade, e estava lá a CUT (Central Única dos Trabalhadores) para fazer uma assembléia geral na porta da fábrica, pois eles anunciaram na semana uma demissão em massa sem negociar com o sindicato, o que é proibido por lei diga se de passagem, mas este assunto tratamos depois.

Mas até ai tudo bem, somos sabedouro de como alguns empresários de índole duvidosa tratam o trabalhador.

Bom, foi com esse clima na porta da fábrica que a polícia de Zé pedágio (PSDB) e seu pupilo Lipi (PSDB) mandaram para dar uma ajuda ao empresário que se sentia ameaçado pelo movimento.
Para entender melhor olhe o filme abaixo.

Disso tudo fica o registro do valoroso deputado Hamilton Pereira (PT) que enfrentou bravamente a polícia em defesa da donzela do sindicalismo que estava ameaçando o empresário e seu patrimônio.




video

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

A hipocrisia da oposição não tem limites


BLOG DO U: A oposição está doida da cabeça ou doente do pé!


Vê-se por essa história do DEM de ir à justiça eleitoral contra o presidente Lula e a ministra Dilma Roussef que a hipocrisia da oposição não tem limites. O DEM é língua de trapo dos tucanos, que estão desesperados com sua divisões internas, com as medidas do governo para sair da crise sustentadas por amplo respaldo popular, com a popularidade do presidente Lula, e com o crescimento de Dilma nas pesquisas.


A verdade nua e crua é que o governo governa e foi a oposição que antecipou o calendário eleitoral. Dilma não é candidata. Eu mesmo afirmei no PT na última 3ª feira, Ela é pré-candidata e nada impede que seja ministra, governe, administre e faça política.


Aliás, é o que o governador Serra faz, quando é recebido aos gritos e aplausos de "candidato" e nas vezes em que os tucanos o tratam como presidente - já na linha de FHC que sentou na cadeira de prefeito de São Paulo e perdeu as eleições em 1985 para Janio Quadros.


Da parte do presidente Lula, da ministra Dilma e do governo não tem campanha e nem uso da máquina. Tem governo no Brasil, que governa e bem, e tem o que é natural, uma situação em que Dilma é pré-candidata, como aliás, Serra, também o é.

CUIDADO ELES QUEREM QUE VOCÊ PERCA A CABEÇA


BLOG DO U: CÉREBRO VIVO - Por Airton Luiz Mendonça O cérebro humano mede o tempo por meio da observação dos movimentos. Se alguém colocar você dentro de uma sala branca vazia, sem nenhuma mobília, sem portas ou janelas, sem relógio... você começará a perder a noção do tempo. Por alguns dias, sua mente detectará a passagem do tempo sentindo as reações internas do seu corpo, incluindo os batimentos cardíacos, ciclos de sono, fome, sede e pressão sanguínea. Isso acontece porque nossa noção de passagem do tempo deriva do movimento dos objetos, pessoas, sinais naturais e da repetição de eventos cíclicos, como o nascer e o pôr do sol. Compreendido este ponto, há outra coisa que você tem que considerar: Nosso cérebro é extremamente otimizado. Ele evita fazer duas vezes o mesmo trabalho. Um adulto médio tem entre 40 e 60 mil pensamentos por dia. Qualquer um de nós ficaria louco se o cérebro tivesse que processar conscientemente tal quantidade. Por isso, a maior parte destes pensamentos é automatizada e não aparece no índice de eventos do dia e portanto, quando você vive uma experiência pela primeira vez, ele dedica muitos recursos para compreender o que está acontecendo. É quando você se sente mais vivo. Conforme a mesma experiência vai se repetindo, ele vai simplesmente colocando suas reações no modo automático e 'apagando' as experiências duplicadas. Se você entendeu estes dois pontos, já vai compreender porque parece que o tempo acelera, quando ficamos mais velhos e porque os Natais chegam cada vez mais rapidamente. Quando começamos a dirigir automóveis, tudo parece muito complicado, nossa atenção parece ser requisitada ao máximo. Então, um dia dirigimos trocando de marcha, olhando os semáforos , lendo os sinais ou até falando ao celular ao mesmo tempo. Como acontece? Simples: o cérebro já sabe o que está escrito nas placas (você não lê com os olhos, mas com a imagem anterior, na mente); O cérebro já sabe qual marcha trocar (ele simplesmente pega suas experiências passadas e usa, no lugar de repetir realmente a experiência). Em outras palavras, não vivenciou aquela experiência, pelo menos para a mente. Aqueles críticos segundos de troca de marcha, leitura de placa... São apagados de sua noção de passagem do tempo... Quando começa a repetir algo exatamente igual, a mente apaga a experiência repetida. Conforme envelhecemos, as coisas começam a se repetir -as mesmas ruas, pessoas, problemas, desafios, programas de televisão, reclamações... enfim... as experiências novas (aquelas que fazem a mente parar e pensar de verdade, fazendo com que seu dia pareça ter sido longo e cheio de novidades), vão diminuindo. Até que tanta coisa se repete que fica difícil dizer o que tivemos de novidade na semana, no ano ou, para algumas pessoas, na década. Em outras palavras, o que faz o tempo parecer que acelera é a...ROTINA A rotina é essencial para a vida e otimiza muita coisa, mas a maioria das pessoas ama tanto a rotina que, ao longo da vida, seu diário acaba sendo um livro de um só capítulo, repetido todos os anos. Felizmente há um antídoto para a aceleração do tempo: M & M (Mude e Marque). Mude, fazendo algo diferente e marque, fazendo um ritual, uma festa ou registros com fotos. Mude de paisagem, tire férias com a família (sugiro que você tire férias sempre e, preferencialmente, para um lugar quente, um ano, e frio no seguinte) e marque com fotos, cartões postais e cartas. Tenha filhos (eles destroem a rotina) e sempre faça festas de aniversário para eles, e para você (marcando o evento e diferenciando o dia). Use e abuse dos rituais para tornar momentos especiais diferentes de momentos usuais. Escolha roupas diferentes, não pinte a casa da mesma cor, faça diferente. Beije diferente sua paixão e viva com ela momentos diferentes. Vá a mercados diferentes, leia livros diferentes, busque experiências diferentes. Seja diferente. Porque se você viver intensamente as diferenças, o tempo vai parecer mais longo. Cerque-se de amigos. Amigos com gostos diferentes, vindos de lugares diferentes, com religiões diferentes e que gostam de comidas diferentes. Enfim, acho que você já entendeu o recado, não é? Boa sorte em suas experiências para expandir seu tempo, com qualidade, emoção, rituais e vida. E S CR EVA em tAmaNhos diFeRenTes e em CorES difErEntEs ! CRIE, RECORTE, PINTE, RASGUE, MOLHE, DOBRE, PICOTE, INVENTE, REINVETE.... V I V A !!!!!!!!

O verdadeiro palanque de Dilma Rousseff


BLOG DO U: A quem diga que a Dilma (ministra chefe da casa civil) esteja em campanha, mas quem fala isso ignora fatores muito importante para uma analise profunda sem demagogia ou partidarismo idiologico. Vamos ao fato, quando dirigentes do PSDB e do DEM anunciam que entrarão com consulta no TSE pedindo que sejam estabelecidos limites para a participação do presidente Lula em atos junto com a ministra Dilma Rousseff, o motivo não é, como alegam, indignação com campanha antecipada. É pânico.
Por Gilson Caroni Filho, em Carta Maior

Se na vida pessoal é importante parar para refletir como estamos nos relacionando com nossas ambições e quais são as reais motivações que nos movem, na vida política é preciso atentar para os torneios lingüísticos cheios de subentendidos da oposição brasileira. Nos dois casos, os jogos de aparência não costumam resistir por muito tempo.
Buscar conhecer bem os percalços, intimidades e armadilhas de discursos que, de tão repetidos, se incorporaram à rotina da pequena política, nos leva a enxergar melhor como a sabotagem institucional é, desde sempre, imperativo de sobrevivência da direita brasileira.
Quando dirigentes do PSDB e do DEM anunciam que entrarão com consulta no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ”pedindo que sejam estabelecidos limites para a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em atos políticos junto com a ministra Dilma Rousseff", o motivo não é, como alegam, indignação com campanha antecipada ou uso de máquina pública em favor de uma provável candidatura governista. A questão é mais prosaica e revela apenas o pânico que vai na alma das elites oligárquicas.
Os verdadeiros ”palanques" da ministra não são montados em encontros com prefeitos ou em inaugurações de obras do Plano de Aceleração do Crescimento ( PAC). Com tábuas e ferragens de boa qualidade, suas estruturas não comportam madeiras apodrecidas que podem ameaçar a estrutura. É um serviço de palco com indubitável qualidade de material como demonstra o estudo do professor Marcelo Cortes Neri, intitulado “Crônica de uma crise anunciada – choques externos e a nova classe média”.
Impressiona saber como na mais grave crise do capitalismo internacional, a economia brasileira mantém dinamismo, assegurando, através do Bolsa Família e outros programas sociais, renda aos mais pobres e um invejável quadro de mobilidade social.
Sobre o PAC, Neri é categórico: ”é um plano que talvez não fizesse muito sentido quando ele foi lançado como um plano de aceleração do crescimento, porque a economia estava muito aquecida, e hoje em dia é visto quase como um New Deal americano numa época em que comparações com a grande depressão americana começam a se tornar mais comuns. Então, é meio como se o Brasil criasse um New Deal antes que a depressão fosse anunciada. Aqueles que acham que o Brasil estava com sorte, alguns anos atrás , que sorte temos agora, porque é como se tivéssemos um bilhete de loteria, um seguro que não sabíamos que tínhamos (...)”.
Quadro muito distinto do que vimos nos oito anos do consórcio PSDB/PFL. A política econômica produzia desemprego e subemprego em massa. Salários irrisórios não permitiam que as famílias pudessem ter uma vida decente. Ajoelhado diante dos interesses predominantes do capitalismo central, o bloco de poder aceitava de bom grado um ajustamento passivo às exigências do credo neoliberal. Via com bons olhos a liquidação de boa parte da indústria nacional e incentivava um processo de desnacionalização crescente. Esse era o palanque de Serra, em 2002.
A partir da eleição de Lula, a estratégia de desenvolvimento econômico e social teve outro norte: reorientação dos recursos produtivos para satisfazer as necessidades de um amplo exército de excluídos; uma política de redistribuição de rendas e da riqueza, baseada na elevação do patamar de salários e em projetos nas áreas de educação, saúde, habitação, transporte e meio ambiente que, simultaneamente, melhoraram as condições de vida, proporcionando emprego à população.
Acrescente-se, ainda, políticas industriais e tecnológicas voltadas para a reestruturação do parque produtivo brasileiro, respondendo aos desafios impostos pela conjuntura internacional e às exigências de um sólido mercado doméstico. Apesar de concessões ao agronegócio, não se descuidou de uma política agrícola voltada para o mercado interno.
Dialogando com movimentos sociais, foi rompida a tradição brasileira de definição e encaminhamento das questões políticas de forma elitista, autoritária e paternalista. Os partidos políticos de cunho progressista puderam, como instâncias de mediação de interesses conflitantes, apresentar projetos globais de desenvolvimento social.
Seria interessante perguntar a alguns ministros do STF em que governo o Poder Judiciário gozou de tanta autonomia como neste? Quando, na nossa rala história republicana, o Executivo foi tão pouco prepotente face ao Judiciário e ao Legislativo?
verdadeiro “palanque" de Dilma Rousseff tem, portanto, dimensão e legitimidade para abrigar muita gente. Pode ser vistoriado por todos os ângulos. No campo dos direitos eleitorais expressa a supressão de todos os obstáculos ao pleno exercício da cidadania. Não cabem recursos de afogadilho. Muito menos petições de uma ética de algibeira.
Gilson Caroni Filho é professor de Sociologia das Faculdades Integradas Hélio Alonso (Facha), no Rio de Janeiro, colunista da Carta Maior e colaborador do Observatório da Imprensa.